Aulas

Yoga Sutra de Patanjali – aula 1

02/05/2017

“O Yoga deve ser conhecido por meio do Yoga; o Yoga se manifesta mediante o Yoga. Aquele que se aplica sem descanso ao Yoga, no final encontra no Yoga uma alegria permanente.” – Vyasa, Yoga Bháshya, III:6

Sadashiva foi um grande espiritualista que viveu há 7 mil anos. Foi ele quem sistematizou a medicina, a arte, as danças e o yoga. Por causa das diferentes culturas que habitavam na Índia (povos que migraram para a região), o conhecimento que antes era restrito a seus grupos passou a ser compartilhado e organizado. Assim, todos passaram a ter acesso a um conhecimento unificado, o sistema do Tantra Yoga.

No entanto, 4 mil anos depois, o conhecimento antes organizado por Sadashiva já havia se degenerado. Por causa de professores inferiores e/ou mal-intencionados, houve uma deturpação no que havia sido sistematizado e falhas surgiram na transmissão do conhecimento.

Foi quando Patanjali assumiu o papel antes feito por Sadashiva e reorganizou o conhecimento em 4 capítulos numa obra chamada Yoga Sutra (de Patanjali). Não foi ele quem criou o conhecimento, mas sim compilou para que a sociedade na época pudesse compreender melhor (linguagem mais acessível pra época) e pudesse manter a unidade do conhecimento.

Os yoga sutra constam de 4 capítulos:

  1. Samadhi: descreve o esvaziamento do eu, o isolamento para vislumbrarmos a verdade
  2. Sadhana: como remover as perturbações da mente, método dos oito passos
  3. Vibhuti: as 3 transformações da mente com a meditação e seus resultados
  4. Kaivalyam: os diversos núcleos da mente (cittas) e que apenas um viabiliza o yoga

As técnicas codificadas por Patanjali passou a se chamar Raja Yoga (Yoga Real) por Swami Vivekananda ou Astanga Yoga (o yoga dos oito passos/pilares). Dentro desses oito passos estão todas as práticas e suas explicações para alcançarmos a meta final do yoga (moksha, ou libertação).

Os oito passos (astanga) são:

  1. Yamas: como lidar com o mundo
  2. Niyamas: como lidar consigo
  3. Asana: postura cômoda (padmasana)
  4. Pranayama: controle da mente através da respiração
  5. Pratyahara: desligar os sentidos do mundo físico
  6. Dharana: concentração
  7. Dhyana: verdadeira meditação
  8. Samadhi: estado final de suspensão das tendências da mente

Segundo Patanjali, o yoga possui oito estágios em busca da realização. Quando começamos a praticar yoga, devemos dar ênfase aos Yamas e Niyamas, os dois primeiros estágios, que são uma forma de cuidarmos do nosso corpo e desenvolvermos disciplinas para, juntamente com a prática de asanas e pranayamas, alcançarmos experiências mais sutis. Yamas e Niyamas também são conhecidos como o código de moral e ética de um iogue, sendo por este motivo, tópicos de extrema importância para quem pratica o yoga.

Falamos em oito passos, mas um iogue jamais abandona o patamar anterior ao alcançar o seguinte. Na verdade, há um caminho de ascensão que, se seguidas o fluxo passo-a-passo, um iogue consegue atingir a iluminação e libertar-se do ciclo de nascimentos e mortes (samsara).

Para facilitar a compreensão, começamos entendendo o que são Yamas e Niyamas.

YAMAS

Um conjunto de código de conduta com os outros, com a sociedade, com o meio em que vivemos. São condutas de refreamentos e autocontroles que aplicamos no nosso relacionamento com os outros, com algo externo a nós. Seguindo os códigos de moral e ética o iogue tem mais clareza mental e facilidade de seguir adiante em seu caminho. Ahimsa, Satya, Asteya, Brahmacarya e Aparigraha são os cinco yamas que devemos observar e começar a praticar.

NIYAMAS

Código de conduta referentes a autodisciplina, ao controle do corpo e da mente. Enquanto Yamas é em relação ao outro, Niyamas é em relação ao iogue. Fazem parte dos Niyamas Saucha, Santosha, Tapas, Swadhyaya e Isvara Pranidhana.

Ambos os Yamas e Niyamas serão debatidos com mais profundidade nos próximos encontros para que possamos seguir com o estudo dos oito passos (astanga) de um iogue.

2 comentários leave one →

  1. Muriel

    Camille, estou amando o blog! <3 *-* Parabéns pelo trabalho!

    Responder
    • Gratidão pelo carinho! Fico feliz que esteja gostando!
      Namaste!

      Responder

Deixe seu comentário: